Mais do que nunca os princípios revolucionários do Movimento Cartonero são uma bandeira pertinente e transformadora da realidade econômica, social e cultural global. No Brasil, e em especial em Pernambuco, ele cresce na medida em que cada vez mais o mercado editorial destoa da realidade econômica e, por sua vez, da realidade sociocultural local. E por seu poder empreendedor, de todo o país, Pernambuco é o estado onde o cartonerismo é mais forte.

Idealizado e produzido pela produtora pernambucana Nós Pós, a INTERNACIONAL CARTONERA pretende consolidar-se como um espaço agregador e de intercâmbio entre agentes culturais  e  sociais deste  Movimento – sejam  eles editores  independentes, autores, diagramadores, encadernadores, ilustradores etc., além de associações e cooperativas de catadores e diversos outros segmentos que  interagem e participam de todo o processo de produção do livro artesanal até seu destino final – o leitor.

PRODUTORA NÓS PÓS

PROGRAMAÇÃO

Horário: 12h a 12h30
Atividade: Visita guiada
Com: Patrícia Vasconcellos
Tema: Almoço no ateliê
Libras: Sim
Onde: Instagram Nós Pós

Horário: 14h a 15h
Atividade: Workshop
Com: Fred Caju
Tema: Artesanias minimalistas
Libras: Sim
Onde: Zoom

Através de técnicas de dobraduras e recortes, es inscrites serão estimulades ao desafio de confeccionar a artesania de um livro que utiliza apenas uma folha A4 como miolo. A oficina busca conjurar escritores, ilustradores, editores e designers cujo foco seja o minimalismo, haicais, cordéis, microcontos, charges, tirinhas e outras linguagens econômicas e elásticas.

Link de inscrição na bio da Nós Pós no Instagram. Lotação da sala: 20 pessoas. Por ordem de inscrição

Horário: 15h30 às 16h30
Atividade: Diálogo
Com: Alexandre Morais e William Tenório
Tema: Sertão independente
Libras: Sim
Onde: Youtube

Na resistência do tempo – Onde a resistência é essência e o refazer-se é cotidiano, a produção literária no Sertão pernambucano insiste. William Tenório [PE] e Alexandre Morais [PE](Pajeú Cartoner) falam sobre os desafios da produção cultural-literária no interior e as veredas abertas pelo Movimento Cartonero.

Horário: 21h a 22h
Atividade: Show
Com: Zeca Viana
Nome do show: Prado tapes
Onde: Youtube

No show de abertura da IC2 o músico Zeca Viana (PE) apresenta um pocket-show com faixas selecionadas dos seus quatro álbuns lançados até o momento: Seres Invisíveis (2009), Psicotransa (2013), Estância (2015) e TRËMA (2020).

Horário: 10h a 12h
Atividade: Workshop
Com: Kamila Ataíde
Tema: Faça você mesmo – Autogestão para artistas independentes
Onde: Youtube
O workshop é uma das ações do projeto Recife Lo-Fi e tem o objetivo de difundir conhecimentos práticos de auto-gestão e organização de carreira para bandas e artistas iniciantes, seguindo caminhos eficientes de planejamento para uma promoção mais eficaz nas redes sociais e na mídia independente em geral com a construção de release, biografia, elementos de identidade artística, apresentação fotográfica e audiovisual.
Horário: 10h a 12h
Atividade: Workshop
Com: Mariane Bigio
Tema: Criação, ilustração e diagramação de cordel
Libras: Sim
Onde: Zoom
Neste workshop Mari Bigio propõe um passeio que irá desde uma breve contextualização histórica, relembrando as origens do Cordel brasileiro até seu reconhecimento como Patrimônio Cultural Nacional, passando pela criação textual, utilizando as regras específicas do gênero, ilustração, utilizando uma técnica que faz releitura da xilogravura, até o processo de diagramação do folheto em si.
Link de inscrição na bio da Nós Pós no Instagram. Lotação da sala: 20 pessoas. Por ordem de inscrição. />
Horário: 14h a 16h
Atividade: Workshop
Com: David Birguy
Tema: Como diagramar livros no Word
Libras: Sim
Onde: Zoom
É possível diagramar livros utilizando um editor de texto? Sim, é! Basta um pouco de técnica e criatividade!
Nesta oficina será feita a diagramação de um livro “ao vivo” possibilitando a quem participar ter a autonomia de edição dos seus próprios livros através de um programa simples e de fácil acesso.
Link de inscrição na bio da Nós Pós no Instagram. Lotação da sala: 20 pessoas. Por ordem de inscrição.
Horário: 15h a 16h
Atividade: Masterclass
Com: Andreza Nóbrega
Tema: Revelando as potências da Acessibilidade para projetos Culturais
Libras: Sim
Onde: youtube
A acessibilidade para projetos culturais vai muito além do cumprimento da legislação. É um campo fértil que amplia a potência de um projeto cultural ao considerar a diversidade humana. Nesta masterclass Andreza Nóbrega, da VouSer Acessibilidade, apresenta alguns conceitos do universo da acessibilidade e de práticas acessíveis que podem inovar e ampliar a concepção de projeto cultural.
Horário: 16h30 a 17h30
Atividade: Diálogo
Com: Patrícia Vasconcellos e Lúcia Rosa
Tema: Cartonerismo em tempos sombrios
Libras: Sim
Onde: youtube
O Movimento Cartonero, surgido em 2003 na Argentina, é essencialmente revolucionário. Como ele lê o momento atual? Como atua em meio ao caos civilizatório em que vivemos? Quais soluções criativas apresenta para manter suas produções editoriais? E qual recado tem a dar ao mundo para enfrentar estes tempos sombrios?

Horário: 21h a 22h
Atividade: Show
Com: Cantoria Crua
Tema: Artista
Onde: youtube
O Crua é uma cantoria contemporânea, nascida em meados de 2020, da conexão natural dos caminhos de três artistas do Agreste pernambucano: Adalberto (Garanhuns), Euzé (Garanhuns) e Neto Sales (Surubim). Nesse show, preparado especialmente para o Internacional Cartonera, apresentam onze canções autorais. O show, que visa proporcionar uma experiência musical imersiva, construída de forma orgânica, coletiva e intuitiva, conta ainda conta com quatro composições inéditas.

Horário: 10h a 10h30
Atividade: Workshop
Com: Wellington de Melo
Tema: Comercialização de livros cartoneros [parte 1]
Libras: Sim
Onde: Zoom
Wellington de Melo (Mariposa Cartonera) ensinará o passo a passo para montar uma livraria virtual, e compartilhará com os participantes sua experiência de comercializar livros em plataformas digitais, em especial Instagram e WhatsApp Business.
Link de inscrição na bio da Nós Pós no Instagram. Lotação da sala: 20 pessoas. Por ordem de inscrição
Horário: 12h a 12h30
Atividade: Contação de história
Com: Kemla Baptista
Tema: Caçando Estórias
Libras: Sim
Onde: Instagram
Iniciativa de arte e educação que apresenta as tradições afro-brasileiras para crianças através da contação de histórias, literatura e outras linguagens.
Link de inscrição na bio da Nós Pós no Instagram. Lotação da sala: 20 pessoas. Por ordem de inscrição
Horário: 14h às 15h
Atividade: Masterclass
Com: Marcelo Barbosa
Tema: O que são esses livros com capa de papelão?
Libras: Sim
Onde: youtube
A necessidade em registrar nossa história, e com ela, experiências, costumes e conhecimentos, estimulou a criação desse artefato (o livro) tão sofisticado, poderoso e transcendental, que ao longo do tempo, vem se moldando conforme as novas tecnologias e sociedades na qual está inserido. Respostas criativas muitas vezes se desenvolvem em períodos de crise. Assim surgiram os “Livros Cartoneros”. Uma cria latina, de produção e publicação de livros, alimentada pelas vozes amorda¬çadas pela História Tradicional e pelas amarras do mercado edito¬rial comercial seletivo e elitizado.

Horário: 16h a 17h
Atividade: Masterclass
Com: Wellington de Melo
Tema: Terminei meu livro… E agora, o que faço?
Libras: Sim
Onde: youtube
O que fazer depois de finalizar seus originais? Esta é a pergunta central a ser respondida pelo editor Wellington de Melo nesta masterclass. Dicas de edição, revisão e preparação de texto, submissão de originais e alternativas de (auto)publicação são alguns dos temas a serem tratados nessa aula.

Horário: 19h30 a 20h30
Atividade: Masterclass
Com: Diego Santos
Tema: Planejamento estratégico de eventos
Libras: Sim
Onde: youtube
Como organizar um evento? Quais os instrumentos de planejamento e controle para o sucesso de um evento? Quais os mecanismos de captação de recursos? Essas e outras questões serão tratadas no encontro.

Horário: 21h a 22h
Atividade: Show
Com: Helton & Vertin
Tema: Artista
Onde: youtube
Live/espetáculo da dupla Helton & Vertin diretamente da Estação da Cultura, em Arcoverde, Sertão de Pernambuco.
No palco, a dupla ao lado da banda traz 10 músicas/cenas, com sotaques nordestinos, letras poéticas e linguagem sonora cosmopolita.
O álbum que tem mesmo nome do show “Artista” foi lançado em janeiro deste ano nas plataformas digitais. Também é possível conferir no YouTube (Helton & Vertin) o videoclipe da canção “Resista” e a live de lançamento.

 

Horário: 10h a 10h30
Atividade: Workshop
Com: Wellington de Melo
Tema: Comercialização de livros cartoneros [parte 2]
Libras: Sim
Onde: Zoom
Wellington de Melo (Mariposa Cartonera) ensinará o passo a passo para montar uma livraria virtual, e compartilhará com os participantes sua experiência de comercializar livros em plataformas digitais, em especial Instagram e WhatsApp Business.
Link de inscrição na bio da Nós Pós no Instagram. Lotação da sala: 20 pessoas. Por ordem de inscrição
Horário: 12h a 12h20
Atividade: Contação de história
Com: Mariane Bigio
Tema: Cordel Animado!
Libras: Sim
Onde: Instagram
Mari Bigio e sua irmã, a musicista Milla Bigio, misturam contação de cordéis infantis com música e sonoplastia para trabalhar temas educativos e divertidos, buscando promover a valorização da Literatura de Cordel e o apreço pela leitura, sempre mesclando a diversão ao aprendizado.
Horário: 15h
Atividade: Diálogo
Com: Idália Morejon Arnaiz, Priscila Carneiro e Elisandro Damasceno
Tema: Cartonerismo e os meios digitais
Libras: Sim
Onde: Youtube
Como as produções editoriais cartoneras se adaptam ao modo digital de viver e, ao mesmo tempo, pode reconfigurá-lo – simbioticamente?

Horário: 16h30 a 17h30
Atividade: Masterclass
Com: Sidney Rocha
Tema: DA SONATA A KREUTZER AO CANTO DAS SEREIAS, OU VICE-VERSA: De como a literatura tem um permanente caso de amor com a música
Libras: Sim
Onde: Youtube

 O escritor Sidney Rocha fala de uma das linguagens mais universais, a música, e suas relações de amor e morte com a literatura. Beethoven, Tostói, Kafka, Homero, Roberto Carlos, Belchior, Raimundo Carrero, Bob Dylan e, se der tempo, Antonio Machado, Baudelaire e Shakespeare. Vamos ver onde a corda e esses arrecifes se emendam e se arrebentam.

Horário: 21h a 22h
Atividade: Show
Com: Augusto Silva & Frevo Novo
Tema: *****
Onde: Youtube

 Augusto Silva é baterista, percussionista, produtor e um dos grandes nomes da bateria no Brasil. No início de 2019 iniciou seu primeiro projeto musical como artista principal: Augusto Silva & Frevo Novo, composta por ele (bateria), Waltinho (tuba), Liêve Ferreira (guitarra), Gilberto Bala (percussão) e Leo Araujo (flauta); em VS, arranjos de sax, trompete, trombone e acordeom. O repertório é essencialmente formado por músicas da nova geração de compositores pernambucanos de frevo, incluindo alguns clássicos do gênero. Com direção musical e rearranjos do próprio Augusto a sonoridade do grupo incorpora elementos do jazz e ritmos regionais, produzindo uma sonoridade refinada e própria para salas de concertos.

Horário: 10h a 12h continuando 14h a 17h
Atividade: Workshop
Com: Zeca Viana
Tema: Oficina lo-fi: criação de homestudio (parte 1)
Onde: Zoom

Capacitar os participantes na criação do seu próprio HOME STUDIO (estúdio caseiro) abrangendo técnicas básicas de gravação, mixagem e masterização de áudio (músicas, trilhas, locuções, podcasts, etc) com equipamentos de baixo custo, fomentando a produção fonográfica independente no estado de Pernambuco.

Link de inscrição na bio da Nós Pós no Instagram. Lotação da sala: 20 pessoas. Por ordem de inscrição

Horário: 10h a 12h continuando 14h a 17h
Atividade: Workshop
Com: Zeca Viana
Tema: Oficina lo-fi: criação de homestudio (parte 2)
Onde: Zoom

Capacitar os participantes na criação do seu próprio HOME STUDIO (estúdio caseiro) abrangendo técnicas básicas de gravação, mixagem e masterização de áudio (músicas, trilhas, locuções, podcasts, etc) com equipamentos de baixo custo, fomentando a produção fonográfica independente no estado de Pernambuco.

Link de inscrição na bio da Nós Pós no Instagram. Lotação da sala: 20 pessoas. Por ordem de inscrição

FICHA TÉCNICA

Realização
PRODUTORA NÓS PÓS

Direção Geral e Curadoria
ALEXANDRE MELO

 

Produção
HUDSON WLAMIR

Assistente de produção
FLÁVIA BENEVIDES

Identidade Visual e Projeto Gráfico
PATRÍCIA CRUZ LIMA

 

Social Media
KAMILA ATAÍDE

Intérprete de Libras
FERNANDA ROBERTA E
RITA SILVA

Divulgação acessível
VOUSER ACESSIBILIDADE

“Eu sou a nata do lixo, eu sou do luxo da aldeia”. O verso da canção “Terral”, do compositor cearense Ednardo, antecipa em algumas décadas a arte do paulista Vik Muniz, por exemplo, conhecido pelo uso e reuso de matéria ou desmaterializações, lixo particularmente, para montar seu discurso de Midas. A canção poderia servir como hino para esta Internacional. Cartonera. As obras do Muniz, espalhadas e espelhadas na abertura das novelas globais, poderiam ser sua manifestação mais eloquente. O comendador desta IC, Internacional Cartonera, bem poderia ser o Joãosinho Trinta. Ou o nosso Miró, do lixão, da Muribeca, inclusive um best seller cartonero. E seu slogan a mais que concreta poesia de Augusto de Campos, onde luxo e lixo formam um todo visívelindivisível.

Mas essa anunciação talvez venha a partir do crítico francês Nicolas Bourriaud, esse conceito a extrapolar o mundo cartonero, mas com o qual muito nos identificamos: o necessário critério de sociabilidade inerente a cada obra, e não somente restrito à concepção, mas sua inclusão em todos os sentidos, sua construção coletiva, de onde pedimos emprestado o conceito de arte relacional. Este é o modo cartonero, espécie de pós-ready-madeou alter-modern, provisório e efêmero, como os sintomas de nosso tempo.

Esta Internacional pretende portanto questionar o antigo, o velho que apagado, o novo que espantado e já o novíssimo, numa estética coletiva, promovendo diálogos onde o cidadão, artista ou não, possa se perguntar: “Eu me vejo todo ou em parte nisso tudo?”

Em tempos tão duros, a Internacional Cartonera busca encontrar essas brechas, ou interstício [esse conceito econômico, de Marx]: um panorama onde surjam novos horizontes de câmbios e intercâmbios, além daquelas impostas pelo sistema. E onde possamos discutir a contemporaneidade, esse animal esquisito e vivo, vivíssimo, sem necessariamente a mão ou mediação estatal, portanto mais próximo do povo.

É um mundo onde se deve tentar compreender a arte contemporânea como um campo de trocas, e onde tal estética “toma como horizonte teórico a esfera das relações humanas e seu contexto social mais do que a afirmação de um espaço simbólico autônomo e privado”, como diz Bourriaud. Mas não sem esquecer do quanto trocas tão poderosastenham sido já prenunciadas por Hélio Oiticica ou Lygia Clark, e antes deles vários outros várias.

Mas vamos em frente, na Terra em pleno setembro, aqui na south america:queremos dizer do quanto esses atores à margem do sistema de recepção e (re)produção e pós-produção da arte podem fortalecer suas relações em um universo mais solidário, onde até o lixo pode se transformar em forma de expressão. Nesse caso, vamos além de Bourriaud, que não inclui a literatura nem o cinema nessa “estética relacional”. Acreditamos numa literatura cartonera, ou num projeto editorial cartonero mais inclusivo, do vendedor do cartonao artista-catador que “constrói” a capa; ao escritor-catador-distribuidor-multiplicador que cede o texto. E, talvez até acreditemos em um cinema cartonero, ou fotografia cartonera,se Glauber e o Cinema Novo brasileiro já não estivessem conectados a uma protoideia disso.

Isso mexe com o conceito, de longa data, do que vem a ser mesmo o “autor”, no mundo contemporâneo, mas aí já seria Foucaultdemais. Porém, para provar (d)a ideia, na prática, resolvemos não assinar, ou assinar todos, este editorial.

O cartonerismo é um modo de pensar o consumo. E o consumo da arte. Uma forma de ver e enfrentar o problema em edições, oficinas, práticas, publicações, congressos, mas em especial é um fluxo [contínuo] de consciências. Objetivas. Simbólicas. Coletivas. Onde somos todos e todas Dulcineias. Eloisas. Niñas. Saritas. “Carinas”. Mariposas. Magnolias. Therezinhas. Estrelas. Dumares. As melhores formas de nos mantermos juntas. Sem preconceitos. Sem medos. E vivermos juntos, num mundo onde a mensagem é sempre melhor que o meio.

Realização
Incentivo
Share This